quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

A tecnologia dos mineiros

Durante escavações no estado do Rio de Janeiro, arqueólogos fluminenses descobriram, a 100m de profundidade, vestígios de fios de cobre que datavam do ano 1000 dC.
Os cientistas cariocas concluíram que seus antepassados já dispunham de uma rede telefônica naquela época.

Os paulistas, para não ficarem para trás, escavaram também seu subsolo, encontrando restos de fibras óticas a 200 m de profundidade. Após minuciosas análises, concluíram que elas tinham 2000 anos de idade. Os cientistas paulistas concluíram, triunfantes, que seus antepassados já dispunham de uma rede digital a base de fibra ótica quando Jesus nasceu!

Uma semana depois, em Belo Horizonte, foi publicado por cientistas mineiros o seguinte estudo:

"Após escavações arqueológicas no subsolo de Contági, Betim, Barbacen, Furmiga, Passa-Quato, Sans Dumont, Santantoin do Monte, Varginha, Nanuque, Águas Formosas, Moncarmelo, Carnerim, Lagoa Dorada, Sanjão Del Rei, Beraba, Berlândia, Belzonte, Divinópis, Pará de Mins, Vernador Valadars, Tiófi Otoni, Piui, Carmo do Cajuru, Lagoa Santa, Morro do Ferro, Biraci e diversas outras cidades mineiras, até uma profundidade de 500 metros, não foi encontrado absolutamente nada. Concluindo então que os antigos mineiros já dispunham há 5000 anos de uma rede de comunicações sem-fio: 'wireless'.

Nota dos arqueólogos:
Por isso se pronuncia 'UAI'reless

0 comentários:

>